Google+ Badge

Tecnocast 010 – Gadgets que não vivemos sem (mais 7 notícias)

Tecnocast 010 – Gadgets que não vivemos sem (mais 7 notícias)

Link to Tecnoblog

Tecnocast 010 – Gadgets que não vivemos sem

Posted: 23 Oct 2014 05:08 PM PDT

Um assunto bastante recorrente aqui no TB e também no Tecnocast, é o de novos devices e como estamos cada vez mais dependentes dessas tecnologias. Nesse episódio a gente resolveu fazer uma pausa para listar o que carregamos com a gente no dia-a-dia, e refletir um sobre como eram as nossas vidas antes deles.

Gadgets que <3 (arte por @grigio)

Gadgets que <3 (arte por @grigio)

Quais são os gadgets que a equipe utiliza diariamente? O que aconteceria se, subitamente, ele deixassem de existir? Será que conseguiríamos nos adaptar a essa nova realidade, agora que já estamos acostumados com tantas facilidades?

Participantes

Caixa Postal

Mande a sua mensagem para podcast@tecnoblog.net

Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

O Tecnocast é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

Tecnocast 010 – Gadgets que não vivemos sem








Sony lança Xperia Z3 e Xperia Z3 Compact no Brasil

Posted: 23 Oct 2014 03:43 PM PDT

sony-xperia-z3-compact-z3

A Sony lançou nesta quinta-feira (23) seus dois novos smartphones topo de linha no Brasil. O Xperia Z3 chega cinco meses após o lançamento do antecessor e traz mudanças sutis no design, um processador mais rápido e novos truques de software. Já o Xperia Z3 Compact é o primeiro smartphone compacto da Sony no Brasil que possui hardware realmente avançado, compartilhando vários componentes do irmão maior.

Xperia_Z3_alta

O Xperia Z3 é um smartphone com Android 4.4 de fábrica (e promessa de atualização para o 5.0), processador quad-core Snapdragon 801 de 2,5 GHz, armazenamento interno de 16 GB com possibilidade de expansão por microSD, RAM de 3 GB, câmera de 20,7 MP e TV digital. A tela de 5,2 polegadas tem painel IPS de 1920×1080 pixels. Para aguentar tudo isso, a Sony colocou uma bateria de 3.100 mAh.

Embora tenha o mesmo tamanho de tela do Xperia Z2, o Xperia Z3 é mais compacto e mais leve que seu antecessor: são apenas 7,3 mm de espessura e 153 gramas. O novo aparelho suportará um recurso de software chamado Remote Play, que permite jogar títulos de PlayStation 4 diretamente na tela do smartphone, inclusive com suporte ao controle DualShock 4.

xperia-z3-compact-traseira

O Xperia Z3 Compact é um smartphone relativamente compacto: com tela de 4,6 polegadas, ele tem 64,9 mm de espessura, pouca coisa a menos que o primeiro Moto G. Mas, diferentemente do que fazem outras fabricantes, a Sony manteve o hardware forte, com o mesmo Snapdragon 801 e a mesma câmera de 20,7 MP. As únicas baixas ficam por conta da RAM, que diminui para 2 GB, e pelos pontos inerentes ao tamanho do aparelho: a bateria é de 2.600 mAh e a tela possui resolução de 1280×720 pixels.

Ambos os aparelhos possuem corpo à prova de água e, de acordo com a Sony, bateria suficiente para durar até dois dias. O Xperia Z3 com a SmartBand inclusa na caixa começa a ser vendido nesta semana nas lojas brasileiras, enquanto o Xperia Z3 Dual e o Xperia Z3 Compact entram em pré-venda no dia 29 de outubro. Os preços são os seguintes:

  • Xperia Z3: R$ 2.699
  • Xperia Z3 Dual (com suporte a dois chips, um 4G e outro 2G): R$ 2.699
  • Xperia Z3 Compact: R$ 2.099

Xperia Z3 Tablet Compact

xperia-z3-tablet-compact-agua

Além dos smartphones, a Sony está lançando no Brasil um tablet de 8 polegadas, o Xperia Z3 Tablet Compact. O hardware é o mesmo que você encontraria em um smartphone caro: processador quad-core Snapdragon 801 de 2,5 GHz, 3 GB de RAM e display com resolução de 1920×1200 pixels. A câmera traseira possui resolução de 8,1 MP. A carcaça é bem fina e leve: são 270 gramas e apenas 6,4 mm de espessura.

A Sony ainda não divulgou o preço do Xperia Z3 Tablet Compact no Brasil.

Nossas primeiras impressões serão publicadas em breve.

Sony lança Xperia Z3 e Xperia Z3 Compact no Brasil








Rumor: estes são os possíveis preços dos iPhones 6 e 6 Plus no Brasil

Posted: 23 Oct 2014 12:10 PM PDT

Preparem suas carteiras: os novos iPhones poderão custar entre R$ 3.199 e R$ 4.399 nas lojas brasileiras. A tabela dos possíveis preços do iPhone 6 e iPhone 6 Plus vem do MacMagazine, que no ano passado conseguiu antecipar os valores do iPhone 5s. Se os preços se confirmarem, os aparelhos ficarão cerca de 50% mais caros do que se fossem comprados nos Estados Unidos.

Esta é a lista dos possíveis preços de todos os modelos (em parênteses, o valor do mesmo modelo desbloqueado nos Estados Unidos):

  • iPhone 6 de 16 GB: R$ 3.199 (US$ 649)
  • iPhone 6 de 64 GB: R$ 3.599 (US$ 749)
  • iPhone 6 de 128 GB: R$ 3.999 (US$ 849)
  • iPhone 6 Plus de 16 GB: R$ 3.599 (US$ 749)
  • iPhone 6 Plus de 64 GB: R$ 3.999 (US$ 849)
  • iPhone 6 Plus de 128 GB: R$ 4.399 (US$ 949)

iphone-6-abre

Considerando um cenário em que uma pessoa aproveitasse uma viagem aos Estados Unidos para comprar um iPhone 6 Plus de 128 GB com cartão de crédito em um estado com taxa de 7%, o preço final seria de aproximadamente R$ 2,7 mil, cerca de 46% menor que o valor de R$ 3.959,10, considerando o desconto típico de 10% que a Apple e o varejo em geral oferecem para pagamento à vista.

Os valores são significativamente maiores que os do iPhone 5s, que foi lançado no Brasil em novembro de 2013 custando a partir de R$ 2.799. Na época, algumas empresas não seguiram a tabela de preços da Apple e venderam por preços ainda mais altos — a Vivo, por exemplo, chegava a cobrar R$ 4.499 pelo iPhone 5s de 64 GB no pré-pago, 900 reais a mais em relação ao preço padrão.

Os preços não foram confirmados oficialmente. A Apple, que anunciou o lançamento dos novos iPhones em 115 países até o final do ano, ainda não divulgou a data de lançamento no Brasil. Ambos os aparelhos já foram homologados pela Anatel e estão autorizados a serem vendidos no país.

Rumor: estes são os possíveis preços dos iPhones 6 e 6 Plus no Brasil








Ello é legalmente proibido de vender anúncios

Posted: 23 Oct 2014 11:59 AM PDT

Se você esteve na internet no mês passado, deve ter ouvido falar do Ello e até ter criado um perfil lá. Foram poucos que permaneceram ativos na rede social, mas ela se mantém fiel a seus princípios e ao seu selling point, que é de não vender anúncios.

Tão fiel que, hoje, anunciou que está legalmente proibida de fazer isso a qualquer momento. Isso porque ela virou uma PBC, sigla para Public-Benefit Corporation, que significa algo como Empresa de Benefício Público.

noise ello

O benefício social que a rede traz é, segundo ela mesma, se comprometer em nunca vender dados dos usuários para nenhum anunciante ou manipular o news feed de acordo com as vontades de quem comprar espaços publicitários na rede social ou por um algoritmo.

Especificamente, o documento de PBC do Ello diz que ele não pode vender dados dos usuários, mostrar anúncios pagos e, no caso da rede social algum dia ser comprada por outra empresa, essa outra empresa também deverá acatar essas regras.

Enquanto alguns podem acreditar que essa é a cova do Ello, a rede social continua indo muito bem, com frequentes novos recursos incorporados e o também anunciado hoje investimento de US$ 5,5 milhões.

O plano do Ello para pagar as contas – suas, dos investidores e dos funcionários – é de criar alguns recursos pagos para os usuários, como se fosse uma rede social freemium. Por enquanto, não há uma previsão de quando isso estará disponível, mas US$ 5,5 milhões devem dar para a rede social caminhar com suas próprias pernas por mais um tempo. Segundo o New York Times, atualmente ela conta com mais de 1 milhão de inscritos, mais 3 milhões na lista de espera de convites – sendo que, no começo de agosto, era uma comunidade de somente 90 pessoas.

Ello é legalmente proibido de vender anúncios








Rooms é o novo app do Facebook para você criar e participar de comunidades no celular

Posted: 23 Oct 2014 11:22 AM PDT

O Facebook está lançando hoje o Rooms, uma plataforma de discussão que permite aos usuários criarem e participarem de comunidades por meio do celular. Nele, é possível unir grupos de pessoas que possuem interesse por um assunto específico, algo que lembra o Reddit ou até mesmo as comunidades do Orkut — mas com foco nos smartphones e de uma forma bem peculiar.

Nas salas do Rooms, é possível publicar texto, fotos ou vídeos. Em cada uma dessas salas, você pode usar um nickname diferente, o que torna o Rooms uma plataforma mais ou menos anônima. Ele não possui integração com sua conta do Facebook e a única informação que pede é um endereço de email para que você possa recuperar o acesso a sua conta caso precise reinstalar o aplicativo, por exemplo.

facebook-rooms

Não há uma lista de todas as salas que já foram criadas e, por enquanto, nem uma ferramenta de busca. A única forma de se tornar membro de uma sala é recebendo um convite, que nada mais é do que uma imagem bonitinha com um QR Code. Salve o convite no aparelho ou tire uma foto dele, e você está dentro — aí é só escolher o nickname e começar a compartilhar conteúdo.

Os posts são exibidos de forma cronológica, como no Instagram ou Twitter, e você pode respondê-los com um comentário ou uma curtida. Para quem cria as salas, é possível até mesmo trocar o ícone e o texto do "Like" para coisas como "High five!" ou "Yay!", além de definir a identidade visual de uma sala e marcar se ela é adequada ou não para menores de 18 anos.

O Rooms é gratuito e, por enquanto, funciona apenas no iPhone. Ele ainda não está disponível na App Store brasileira, então você precisará fazer alguma gambiarra, como usar uma Apple ID americana. Depois de baixar e instalar o Rooms, comece entrando na sala do Tecnoblog. É só escanear o convite abaixo:

Image-1

Rooms é o novo app do Facebook para você criar e participar de comunidades no celular








Tumblr atualiza seu player de vídeo e implementa função de ‘segunda tela’

Posted: 23 Oct 2014 09:05 AM PDT

O Tumblr liberou hoje uma atualização que contempla os vídeos na rede social e o seu sofrido player nativo. Apesar de permitir a incorporação de vídeos de outros sites, o player mais utilizado pelos usuários na rede social é o próprio. Ele, até hoje, não fazia mais do que reproduzir os vídeos – não havia opção para melhorar a qualidade e demorava séculos para carregar. Mexer no progresso também poderia fazer com que ele travasse e precisasse ser reaberto.

Mas, com o dobro de posts de vídeos sendo produzidos em relação aos de fotos, o Tumblr precisa se atualizar e é isso que ocorre a partir de hoje.

A principal novidade, exclusiva da versão web, é separar o vídeo que você quer ver do resto da Dashboard, como se fosse uma segunda tela. Basta arrastá-lo para o canto para continuar assistindo sem precisar parar de rolar a página com novidades dos blogs que segue.

Outra novidade é que os vídeos passarão a rodar automaticamente em loop e sem som. É parecido com o que ocorre no Facebook; no Tumblr, a diferença é que o resultado se aproxima mais de um GIF já que os vídeos costumam ser mais curtos. Essa funcionalidade também estará disponível em smartphones e tablets quando estiverem conectados a uma rede Wi-Fi.

Por fim, será possível alterar a qualidade: vídeos em HD agora podem ser vistos diretamente no Tumblr.

As melhorias são um presente aguardado pela comunidade do Tumblr – quem tem um blog lá sabe como é difícil lidar com o player nativo – , mas a intenção da rede social não é roubar produtores de conteúdo de outros sites. Como o CEO David Karp disse ao The Verge, o que o Tumblr pretende com isso é melhorar uma das mídias que o site suporta, mas não fazer com que ela supere as outras, mantendo o ambiente criativo e eclético como sempre.

Com informações: Mashable

Tumblr atualiza seu player de vídeo e implementa função de ‘segunda tela’








iFixit desmonta iPad Air 2: processador triple-core, 2 GB de RAM e super difícil de consertar

Posted: 23 Oct 2014 08:09 AM PDT

ipad-air-2-desmanche

A Apple começou a entregar ontem o iPad Air 2 para os primeiros compradores e o iFixit já desmontou o novo tablet para descobrir o que há em suas entranhas e o que mudou em relação ao antecessor. O desmanche revela um novo processador Apple A8X trabalhando em conjunto com 2 GB de RAM, uma bateria menor que a do primeiro iPad Air e um produto bem difícil de ser consertado.

A dificuldade com a abertura é grande desde o começo, porque não há nenhum parafuso na carcaça: a parte frontal é presa ao corpo do tablet com uma cola. A Apple juntou o painel LCD, o vidro que reveste o painel e o sensor de toque em apenas um componente, o que permitiu deixar o iPad Air 2 muito fino, mas também abre caminho para que você quebre todas as peças de uma vez só.

ipad-air-2-abrindo

Houve um pequeno reposicionamento de cabos e a inclusão de novos componentes, como o sensor de impressões digitais Touch ID, que agora está integrado ao botão Home, assim como no iPhone. O iPad Air 2 também herdou do smartphone o design fino, com 6,1 mm de espessura — ele é mais fino que o iPhone 6, com 6,9 mm. Felizmente, a câmera de 8 MP não gera aquela protuberância estranha na traseira.

ipad-air-2-espessura

Por dentro, o iPad Air 2 traz duas antenas Wi-Fi 802.11ac e o novo chip Apple A8X. Embora a Apple não confirme detalhes do hardware, os benchmarks indicam que se trata de um SoC com CPU triple-core de 1,5 GHz — isso me fez lembrar dos velhos AMD Phenom X3. O iFixit mostra ainda os módulos de 2 GB de RAM da Elpida. É o dobro do máximo de RAM que qualquer outro dispositivo iOS já teve.

ipad-air-2-a8x

Provavelmente para manter a espessura fina, a Apple diminuiu a capacidade da bateria do iPad Air 2. São 7.340 mAh, quase 20% a menos que os 8.827 mAh do primeiro iPad Air. A Apple ainda promete a mesma autonomia de 10 horas, indicando que os novos componentes são mais eficientes energeticamente, mas os reviews apontam uma duração ligeiramente menor.

ipad-air-2-bateria

O iPad Air 2 continua com uma bateria que não é soldada à placa lógica do tablet, o que facilita reparos, mas todo o resto joga contra o produto, como o maior risco de quebrar a tela e o excesso de cola por toda parte para juntar os componentes. Por isso, o índice de reparabilidade do iFixit, que mede a facilidade de consertar um dispositivo, foi de apenas 2/10.

As belas fotos internas do iPad Air 2 e todos os detalhes dos componentes internos estão lá no iFixit.

iFixit desmonta iPad Air 2: processador triple-core, 2 GB de RAM e super difícil de consertar








Windows 10 terá autenticação em dois passos como opção de segurança

Posted: 23 Oct 2014 07:35 AM PDT

A Microsoft anunciou em seu blog oficial a intenção de incluir uma série de recursos de segurança no Windows 10. Entre elas está a técnica de proteção mais comentada do momento: a verificação em dois passos.

Você já pode utilizar este meio de autenticação no Outlook.com, por exemplo. Mas no sistema operacional? Sim. A preocupação da Microsoft está na exposição dos dados do usuário caso um invasor consiga descobrir a sua senha de acesso ao Windows.

Em termos práticos, você terá que digitar a sua senha de usuário e, na sequência, informar um código fornecido pelo seu smartphone para entrar no sistema operacional ou usar o próprio dispositivo como fator de autenticação. Neste caso, a comunicação com o computador se dará via Bluetooth ou Wi-Fi.

windows-10-menu-iniciar-blog

É verdade que é um tanto fatigante passar por duas etapas de autenticação para concluir o login. É por isso que a verificação em dois passos será opcional: se o usuário ou a empresa achar que esta é a melhor forma de proteger seus dados, vá em frente. Como alternativa, será possível utilizar um leitor de impressões digitais no lugar do código ou do smartphone.

A Microsoft também promete incluir proteção para mitigar ataques a partir de técnicas “Pass the Hash”. Nelas, basicamente, o invasor “sequestra” credenciais de autenticação válidas armazenadas na memória para ter acesso ao sistema.

Entre as medidas anunciadas haverá ainda mecanismos para proteger atividades profissionais. Desta forma, será possível evitar que determinados aplicativos obtenham dados de um sistema acessado via VPN, por exemplo. Com o trabalho remoto ficando cada vez mais frequente, faz bastante sentido reforçar este tipo de proteção.

Além do Windows 10, os novos recursos de segurança devem ser levados a outros sistemas e serviços da companhia, como o Microsoft Accounts e o Azure Active Directory.

Windows 10 terá autenticação em dois passos como opção de segurança








Read more »